Notícias GetTI

Como escolher o data center certo para seu negócio? Entenda!

Algumas empresas não sabem como escolher o data center certo, pois não avaliam questões estratégicas que facilitam a eficiência dos serviços que serão entregues. Com a demanda por alta conectividade e adaptação ao processo evolutivo do mercado, é preciso que as empresas mantenham a capacidade de expansão para gerar valor e alcançar uma base de clientes mais ampla.

Além disso, toda a infraestrutura de TI fica exposta à confiabilidade dessa seleção, que precisa considerar critérios como o nível de segurança demandado pelos dados da empresa, o tempo de inatividade dos sistemas suportado pelo negócio, as metas e objetivos definidos a partir de uma necessidade específica e as ofertas disponíveis no mercado.

À medida que as necessidades dos negócios mudam, é preciso que o data center seja flexível e capaz de oferecer soluções personalizadas, como servidores dedicados ou soluções de nuvem que garantam mobilidade e eficácia sem prejudicar a liquidez do negócio.

Neste post vamos apontar os requisitos básicos exigidos para contratar um data center ideal para a sua empresa. Confira!

Certificações

O diferencial de um data center está no know-how que ele oferece aos parceiros de negócio. Seguir boas práticas de compliance e governança de TI é imprescindível, e essa conformidade pode ser atestada por certificações reconhecidas internacionalmente, como ISO 27000, PCI DSS (Payment Card Industry Data Security Standards), SSAE 16 (Statement on Standards for Attestation Engagements), SOC (System and Organization Controls), entre outras.

A Tier, por exemplo, é uma certificação concedida pelo Uptime Institute aos data centers que cumprem todos os aspectos exigidos por meio de uma avaliação local da instalação, no que diz respeito aos fundamentos de arquitetura, elétrica, mecânica e comunicação nele inseridos.

Além disso, suas classificações de nível de disponibilidade, estabelecidas com base em análises, devem estar entre 99,67% e 99,99%, o que garante total qualidade dos serviços oferecidos pela empresa que a apresenta.

Seguem algumas especificações dos tipos de certificações Tier disponíveis:

Tier 1

Certificação básica concedida às empresas de pequeno porte, que exige requisitos de 99,67% de tempo de atividade (uptime), 28,8 horas de inatividade por ano e nenhuma redundância.

Tier 2

Os requisitos para essa classificação são 99,749% de uptime, 22 horas de inatividade por ano e redundância parcial em energia ou refrigeração dos sistemas.

Tier 3

Essa especificação é mais requisitada por empresas de grande porte que garantem 99,982% de uptime, até 1,6 hora de inatividade por ano e tolerância N+1 a falhas com proteção mínima de 72 horas em casos de falta de energia.

Tier 4

A Tier de classificação 4 é destinada às grandes corporações, que cumprem os requisitos de 99,995% de uptime, 2N+1 de redundância integral, 96 horas de proteção em caso de queda de energia e 26,3 minutos de indisponibilidade por ano.

Localização

É preciso considerar a facilidade com que um técnico pode chegar à empresa atendida. Isso abrange, principalmente, serviços de atualização dos sistemas ou manutenção dos equipamentos.

Além disso, o fornecedor precisa considerar se a área está sujeita a intempéries que inviabilizem o funcionamento dos sistemas ao construir uma instalação, para tomar as devidas precauções em sua infraestrutura crítica.

Flexibilidade

A escalabilidade diz respeito ao modo como as necessidades do usuário são atendidas, se por soluções prontas e padronizadas, que podem ou não atender adequadamente às necessidades, ou por soluções personalizadas, que permitem maior flexibilidade no atendimento das demandas.

Esse aspecto abrange a disponibilidade do sistema em um espaço adicional, possibilidades extras de energia e conectividade. A escalabilidade permite que um fornecedor atenda aos mesmos requisitos de qualidade ao suportar um crescimento orgânico do seu próprio negócio e o de seus clientes.

Confiabilidade

Confiabilidade é fundamental na escolha de um data center, sendo medida pelo tempo de atividade. Um provedor confiável, por exemplo, pode ter muito tempo de atividade no mercado, mas não confiabilidade em grande parte desse período de permanência. Os níveis de SLA (Service Level Agreement) são métricas que podem ser utilizadas para avaliar essa disponibilidade.

Eficiência de implantação

Algumas perguntas precisam ser elaboradas ao se definir como escolher o data center certo:

  • com que rapidez a empresa necessita do funcionamento de sua infraestrutura?
  • com que rapidez será implementada uma nova conexão ou o espaço adicional de rack?
  • qual a capacidade desse data center em acompanhar as demandas de crescimento do negócio?

A maioria das empresas requer agilidade na implementação de adaptações, e o data center escolhido deve ser capaz de fornecer essa eficiência e, principalmente, de comunicar todos os cronogramas de implantação de acordo com os SLA acordados.

Estabilidade financeira

As condições financeiras do data center contratado devem ser consideradas, pois é possível que o investimento seja mais alto que o tempo de permanência do provedor no mercado.

Esse suporte deve se manter viável pelo mínimo de cinco anos. Para obter essa garantia é preciso analisar press releases, relatórios de viabilidade financeira e históricos de atendimento anteriores.

Disponibilidade

A maioria dos data centers não funciona 24 horas por dia, sete dias por semana, de modo que a presença de uma equipe de operações durante todo esse período e com vigilância e monitoramento constante é possível garantir segurança à infraestrutura e evitar inatividade do sistema.

É assim porque a segurança e a disponibilidade do sistema são bases para a eficiência das operações e a credibilidade da empresa. Imagine como um problema de falta de energia poderia afetar diretamente o desempenho das máquinas de uma fábrica ou o prejuízo nas vendas de um grande e-commerce, pela falta de um plano de contingência.

Atualmente, muitas empresas buscam outras formas de prover energia, como equipamentos que realizam backup de bateria, nobreaks e geradores que evitam esse tipo de gargalo.

Segurança

É preciso avaliar, também, a conformidade do datacenter com a legislação de proteção de dados para garantir privacidade e segurança à informação acessada. Entre os requisitos mínimos, o data center deve ter uma política clara de segurança, que inclui restrição de acesso a locais estratégicos, uso de firewalls e sistemas de detecção e prevenção de intrusões.

Ao considerar todos esses aspectos, não será difícil avaliar, após a implementação dos serviços, o desempenho do data center para que todas as demandas da empresa sejam atendidas sob conformidade com a legislação e os requisitos mínimos de disponibilidade e segurança da informação.

Agora, que você já sabe como escolher o data center certo para o seu negócio, que tal aprender a gerenciar a sua infraestrutura de TI?

Notícias relacionadas