Notícias GetTI

Cloud server x Servidor on premise: entenda as diferenças

Data Center é o local no qual os processos organizacionais, relacionados à tecnologia da informação (TI), são estruturados. Eles devem ser modernos, controlados e seguros. Ao conhecer essa necessidade, surge a dúvida sobre o ambiente para a sua implementação: Cloud server ou Servidor on premise?

O ambiente escolhido deve ter recursos escalonados, exigir investimento conforme a situação financeira da empresa, seguir as especificidades do negócio e contribuir para o atendimento de todas as necessidades organizacionais.

Neste post, ressaltamos as características e diferenciais do Cloud server e do Servidor on premise para esclarecer os principais requisitos para essa decisão. Confira!

Quais são as características e diferenciais do Cloud server?

O Cloud Server é um ambiente de computação virtualizado criado em cluster, que possui componentes de infraestrutura principais — servidores combinados (CPU, memória RAM e outros recursos) e “Storage Area Network”, dispositivos que armazenam dados eletrônicos.

As suas operações de processamento e armazenamento podem ou não ser fisicamente separadas, o que depende da arquitetura do sistema (convergente ou hiperconvergente). Como os seus elementos são conectados por baixa latência, permitem ser escalonados facilmente e, muitas vezes, contam com recursos de alta disponibilidade e failover.

O Cloud Server tem escalabilidade como diferencial, pois permite acompanhar as necessidades da empresa. A disponibilidade de recursos, soluções de armazenamento e processamento de dados, por sua vez, proporcionam ambientes extremamente convergentes.

Não requer investimento inicial para a aquisição de equipamentos, sendo um serviço on demand, ou seja, não exige um planejamento estruturado e pode ser escalado aos poucos.

Esse fato caracteriza uma redução de custos, que, somada à agilidade das operações, favorece a gestão de recursos. Ele é compatível com a transferência do controle para o provedor contratado, o que facilita a tomada de decisão e favorece fatores cruciais para a manutenção da competitividade da contratante no mercado.

Com o Cloud Server sendo monitorado em um ambiente controlado, é possível aumentar a segurança dos dados e a preservação de recursos, sem a necessidade de se preocupar com processos de manutenção do servidor.

O que é Servidor on premise?

Em contrapartida, o Servidor on premise requer um planejamento mais detalhado, pois é estruturado localmente, sendo necessário considerar o ambiente e os procedimentos de segurança, como a gestão de identidade e acesso (Identity and Access Management — IAM), para impedir a entrada não autorizada ao servidor físico.

A sua estruturação também requer aquisição de hardware, licenças e criação de procedimentos internos de operação e manutenção. Esse modelo tem o objetivo de atender necessidades específicas da empresa em longo prazo, sendo mais aplicado quando já existe uma equipe sólida de TI atuando na organização, que possa dimensionar corretamente as possibilidades dessa solução.

A principal vantagem desse tipo de servidor é a possibilidade de controle total, desde a estruturação com a escolha da plataforma e dos hardwares até o software utilizado.

Ele permite gerenciar todos os recursos, fazer upgrades e mudanças no sistema, além de não exigir acesso à Internet, pois é executada por meio de terminais internos cuja conexão pode ser feita de forma efetiva.

Apesar disso, é um modelo que requer investimento maior e atenção direcionada por parte das organizações. Por atender em longo prazo, corre o risco de acomodação com obsolescência dos sistemas e processos.

Normalmente, é adotado para atender requisitos relacionados ao compliance e empresas localizadas em regiões com dificuldade de acesso à Internet. Portanto, para e-commerces, por exemplo, que precisam ficar 24 horas conectados, não é uma possibilidade viável.

Quais são as diferenças entre Cloud server e Servidor on premise?

A principal diferença entre Cloud server e Servidor on premise é o método de contratação e implementação das soluções: enquanto o Cloud server é hospedado no data center de terceiros, com acesso por meio da internet, os servidores on premise são implementados localmente na rede interna da empresa.

Apesar de o Servidor on premise oferecer uma estrutura robusta, que possibilita total domínio sobre o servidor, ele requer monitoramento especializado contínuo, além de não oferecer benefícios como a escalabilidade, sem requisitar grandes investimentos, ou mobilidade, fator crucial para a flexibilização dos processos organizacionais.

Além disso, no Cloud server, sempre há mais de um servidor físico em cada operação, que garante a continuidade do serviço quando ocorre algum tipo de problema. A virtualização de recursos ainda permite oferecer soluções exatas para cada aplicação.

Essa “elasticidade” permite aumentar memória, espaço de armazenamento e processamento, sem prejudicar a segurança, autonomia e crescimento sustentável da empresa, o que não pode ser apurado quando a empresa estrutura um Servidor on premise.

Outro fator crucial que deve ser considerado está na disponibilidade dos dados: no Cloud server, a independência em relação aos servidores locais reduz consideravelmente os riscos da infraestrutura sofrer danos físicos e outros acidentes.

Existem modelos híbridos?

Algumas empresas podem trabalhar com modelos híbridos, nos quais uma parte dos processos de negócio são migrados para nuvem, mantendo uma infraestrutura local.

Nesses casos, quando alguns dados organizacionais ficam disponíveis estrategicamente na nuvem, é possível integrá-los com maior agilidade às ferramentas de Business Intelligence.

Por que contratar um Data Center?

Como em um Data Center os serviços de TI são gerenciados em Cloud, a empresa contratante não tem que planejar, desenhar, implementar e monitorar as soluções, e sim delimitar, dentro do catálogo de serviços disponíveis, o que é interessante para o seu negócio, assim como os níveis de SLA exigidos pela relação.

Dessa forma, as empresas interessadas definem os requisitos do serviço contratado, os níveis de segurança para a infraestrutura, métodos de controle de acesso ao servidor, entre outras questões mais direcionadas aos aspectos estratégicos do serviço.

Enquanto isso, a equipe da empresa contratada potencializa a efetividade das soluções por meio de modelos que, inclusive, podem ser híbridos, para agregar valor aos processos da empresa e favorecer a gestão organizacional.

O enfoque é propiciar soluções específicas de segurança, controle e gerenciamento para a infraestrutura de TI, a fim de que as empresas possam se ater mais à parte analítica dos negócios, ou seja, o seu core business.

Entre os benefícios da contratação de serviços gerenciados de TI, podemos destacar:

  • otimização de processos;

  • melhoria na gestão estratégica;

  • controle dos investimentos e finanças (serviço on demand, em que não é feito investimento inicial alto);

  • garantia de atendimento dos requisitos de governança, segurança e compliance;

  • dados para indicadores que otimizam a tomada de decisão;

Agora você conhece as diferenças entre Cloud server e Servidor on premise. A GetTI tem uma consultoria especializada para potencializar todos esses benefícios nas empresas. Como os profissionais têm visão estratégica e especializada, podem gerar insights de otimização de todos os processos organizacionais.

Quer conhecer as nossas soluções? Entre em contato com a GetTI.

Notícias relacionadas