Notícias GetTI

Por que seu negócio precisa de uma licença de software original?

Toda empresa que se preze, transmite aos seus clientes seus valores, propósitos e missões — e isso inclui a manutenção da ética e a qualidade dos serviços prestados. Para que uma corporação mantenha sua reputação ilibada é preciso que transmita confiança em todos os ramos que atua, incluindo na aquisição de licença de software.

Pensando nisso, preparamos este post que explicará o por que o negócio precisa de softwares originais, quais são os modelos de aquisições, tipos de licenças, principais vantagens de softwares licenciados e as desvantagens de usar produtos piratas. Ficou curioso? Então, continue conosco!

Quais são os modelos de aquisições de softwares?

Existem diversos modelos de aquisições de sistemas, como o aluguel ou aquisição unitária. Focaremos nos formatos pagos, uma vez que, para adquirir softwares gratuitos, é preciso apenas baixá-lo. Confira, então, quais são eles.

Aquisição perpétua

Esse é um dos modelos mais comuns de aquisição de software. Como o próprio nome sugere, o usuário que adquirir perpetuamente um software será dono dele para sempre. No entanto, o direito de aquisição se restringe apenas ao software, ou seja, atualizações e manutenções futuras podem estar fora do pacote e serem cobrados externamente.

Aquisição de uso

A aquisição de uso é similar a perpétua, pois, embora inclua atualizações futuras, ele não cobre a manutenção do produto. Sendo assim, você pode adquiri-lo em conjunto ou isoladamente, como o uso do sistema operacional Windows para uma empresa, por exemplo.

Aluguel

O aluguel de softwares é vantajoso no curto prazo e uma ótima opção para projetos temporários. Com esse tipo de aquisição, o usuário ganha acesso ao software, enquanto pagar pela mensalidade, sendo usado quando o serviço disponibilizado está em uma página web, como o Microsoft Office 365 que tem planos pagos. Softwares instaláveis também podem ser alugados, como o Adobe Photoshop, por exemplo.

SaaS

O Software as a Service (SaaS), é similar ao aluguel de software. No entanto, é a plataforma de software de serviço que é contratada. Ou seja, paga-se somente pela quantidade de usuários que fazem o uso do serviço. Sendo assim, a sua vantagem é que não necessário investir e gerenciar uma infraestrutura para instalar o programa, uma vez que eles são acessados remotamente por meio da internet.

Quais são os tipos de licenças de softwares?

As licenças de softwares são a respeito das regras de como eles devem ser adquiridos, modificados e distribuídos. A seguir, listamos as principais licenças, confira.

Software proprietário

É um software com propriedade intelectual definida. Seu proprietário, pessoa ou empresa, limita a distribuição do código-fonte, da aplicação, distribuição e revenda. Durante a aquisição desse tipo de licença é preciso saber quais são as regras de uso, que geralmente vêm em um contrato que deve ser assinado pelo comprador.

Software gratuito

Também chamado de freeware, é todo software que pode ser distribuído e utilizado gratuitamente — pode ser proprietário ou livre, ter o código aberto ou não. Existem diversas modalidades de softwares livres e cada uma delas ditam formas diferentes de licenciamento. Por exemplo, se um freeware é proprietário, seu dono é que dirá, por meio da licença, quais são as regras de uso.

Software livre

O software livre é aquele que permite total liberdade de uso para o usuário — ou seja, é possível modificar, redistribuir, copiar e até vender. A garantia total de liberdade de um software é dada por meio da licença copyleft, que abdica do direito autoral, transferindo sua propriedade para o domínio público.

Open source

Open source é um software de código aberto, que pode estar disponível para reprodução ou não. Esse tipo de licença permite que o código seja personalizado por terceiros, mas seus desenvolvedores podem limitar sua distribuição. Essa é a principal diferença entre software livre e open source.

Quais as vantagens de uma licença de software?

O licenciamento de softwares é a maneira mais correta e segura de uso de tecnologias, uma vez que ele traz disponibilidade e confiabilidade para uma empresa. Além disso, esses softwares foram testados e auditados antes de serem lançados, o que garante prevenção contra erros e defeitos que poderiam prejudicar a produtividade de serviços.

Os softwares livres têm como principais vantagens a transparência e apoio da comunidade desenvolvedora. Os códigos abertos dão aos usuários o poder da escolha de saber exatamente aquilo que estão instalando em seus computadores. A auditoria orgânica dos softwares livres garantem que sejam testados de diversas formas.

Há também a garantia de suporte, seja pelos fornecedores dos licenciamentos ou pela comunidade que mantêm os softwares livres. E a grande vantagem de todas é evitar dores de cabeça no futuro, causados por softwares maliciosos.

Quais os ricos do uso de softwares piratas?

Já as desvantagens estão relacionadas com a inserção de programas maliciosos nos computadores, afinal não se sabe a procedência de programas piratas. Uma delas é o acesso aos dados sigilosos mantidos no computador. Os usuários estão expostos aos ataques de segurança que podem roubar dados como senhas, nomes, endereços de e-mail etc.

A exposição aos vírus e malwares podem ser muito prejudiciais. Os cracks, programas para burlar os softwares licenciados, abrem brechas no computador para outros tipos de ataque, permitindo que ransomwares sejam instalados, sequestrando todos os dados da máquina. Ou pior ainda, as infecções podem se espalhar pela rede interna e causar um caos na empresa.

Os softwares piratas também são instáveis, pois têm suas rotinas alteradas para que não sejam detectadas ilegalidades por parte do fabricante. Eles podem travar ou simplesmente parar de funcionar, e essa baixa performance também é um dos problemas. Isso porque quando eles acontecem, não há suporte técnico, pois os proprietários só oferecem esse tipo de serviço para quem adquiriu seus produtos.

E por fim, mas não menos importante é a ilegalidade. Pirataria é crime e está sujeito as aplicações da lei, com pena de 6 meses a 2 anos de prisão, além de causar um constrangimento para a empresa e manchar a credibilidade, causando prejuízos que não podem ser mensurados.

O ideal é ter o software licenciado para evitar todos esses problemas. Se a questão financeira impedir a aquisição desses produtos, procure por alternativas como aluguel ou o SaaS. Por fim os softwares livres e gratuitos sempre serão alternativas viáveis para os usuários.

Curtiu nossas dicas sobre licença de software? Então assine nossa newsletter para não perder mais nenhuma novidade. Até a próxima!

Notícias relacionadas