Notícias GetTI

O que é análise de risco e como realizá-la na minha empresa?

Você sabe o que é análise de risco em TI? No ambiente corporativo atual, em que a tecnologia está presente no dia a dia do negócio, ter medidas que mantenham a infraestrutura funcional e com um nível contínuo de performance é um fator fundamental para que a empresa possa se manter competitiva.

Nesse sentido, as políticas de análise de risco em TI têm um papel-chave, reduzindo as vulnerabilidades a que os usuários estão expostos e mantendo as infraestruturas de TI com um grau de confiabilidade muito maior. Quer saber mais sobre o tema e como ele afeta a sua rotina? Então, continue a leitura e confira!

O que é análise de risco em TI?

No setor de tecnologia, a análise de risco é o processo de avaliação de vulnerabilidades, de identificação de potencial e de definição de políticas de mitigação e demais rotinas que possam tornar a infraestrutura mais confiável.

Graças a ela, o negócio tem mais formas de manter a sua infraestrutura de TI com um bom nível de confiabilidade, evitando problemas que impactem na sua performance ou na segurança do usuário. Assim, a tecnologia pode ser integrada a mais processos sem que a segurança interna seja comprometida.

Qual o seu objetivo?

O principal objetivo da análise de risco em TI é mapear todos os problemas que possam afetar a performance e a confiabilidade da infraestrutura, além de definir e planejar o que pode ser feito para evitar que esse tipo de situação tenha grandes impactos no negócio. Em geral, os processos são estruturados para cobrir os seguintes pontos:

  • identificar ameaças em potencial à segurança de TI;

  • avaliar a probabilidade de problemas ocorrerem;

  • identificar o valor dos ativos do negócio;

  • analisar o impacto que falhas podem ter na lucratividade e nas operações do empreendimento;

  • documentar processos para identificar e mitigar falhas na infraestrutura;

  • monitorar os resultados das estratégias adotadas.

Em conjunto, esses processos conseguem criar um ambiente de TI mais robusto e confiável. O negócio terá um conjunto de atividades que podem manter a performance em um nível mais elevado e que corresponda às necessidades dos usuários. Assim, a empresa ficará mais competitiva e capaz de enfrentar os seus maiores desafios.

Como fazer uma análise de risco em TI?

A análise de risco deve ser estruturada com um conjunto de processos para cobrir todas as vulnerabilidades. Dessa maneira, o time de TI consegue evitar que as falhas não sejam identificadas e mitigadas rapidamente. Entre os processos que o gestor pode adotar, podemos destacar os que seguem.

Identificar as características da infraestrutura de TI

Esse é um ponto básico para quem pretende mitigar riscos com mais qualidade e eficácia. Conhecendo a infraestrutura, o setor de TI pode avaliar de modo mais abrangente os riscos em potencial, como eles influenciam a performance do negócio e as melhores estratégias para eliminá-los.

Portanto, faça um levantamento completo sobre a infraestrutura. Liste softwares, dispositivos de rede, servidores, computadores e qualquer outro equipamento tecnológico que possa ser utilizado em ataques ou que um problema eventual na sua performance influencie o dia a dia da empresa.

Também verifique quais são as políticas de gestão, governança e segurança digital já existentes. Conhecer como tais processos estão definidos é tão importante quanto saber como é a infraestrutura de TI. Assim, a empresa terá uma política de análise de risco muito mais eficaz e abrangente.

Avaliar quais são os riscos em potencial

A avaliação dos riscos em potencial auxilia a empresa a identificar exatamente quais são suas vulnerabilidades e seus pontos fortes. Portanto, a partir dos dispositivos já listados, verifique quais são os problemas que podem afetar a empresa, como ataques externos, vazamento de dados ou interrupções no funcionamento das aplicações críticas.

Priorizar ameaças

A priorização de ameaças auxilia a empresa a ter uma política de mitigação mais inteligente. Avaliando quais são os problemas com maior potencial de dano, o empreendimento poderá definir as medidas de mitigação com um foco maior em problemas críticos. Assim, os recursos serão direcionados mais adequadamente e as chances de uma falha grave impactar a empresa serão muito menores.

Definir rotinas de prevenção, identificação e mitigação de problemas

Por fim, o negócio deve definir quais são as estratégias utilizadas para prevenir, mitigar e identificar os problemas. É importante também que a companhia treine os profissionais e documente todas as rotinas que forem definidas nessa etapa. Com isso, o time de TI terá mais chances de aplicar as rotinas corretas quando algo ocorrer.

Para as ferramentas que trabalham com dados sigilosos, por exemplo, a empresa pode definir políticas de backup e controle de acesso. Já a rede deve ser segmentada, evitando que invasões possam se espalhar por toda a infraestrutura rapidamente.

Invasões e falhas de performance são identificáveis com sistemas de monitoramento, como o firewall. Eles avaliam continuamente como a infraestrutura e os usuários estão se comportando e, assim, identificam pontos suspeitos com rapidez. Nesse sentido, os processos de mitigação serão aplicados com mais agilidade.

Monitorar resultados

O monitoramento de resultados é um dos pontos fundamentais para que a empresa possa avaliar como as políticas de análise de risco otimizaram o ambiente de trabalho. Portanto, deve-se utilizar indicadores e sistemas de monitoramento para analisar como os processos adotados reduziram o número de falhas e problemas em potencial.

Além disso, o setor de TI pode realizar testes de penetração para entender como as novas rotinas de segurança auxiliam o negócio a identificar e mitigar ataques. Esse tipo de análise deve ser feita, preferencialmente, por uma equipe externa: ela terá como aplicar as principais técnicas de ataque e criar um relatório de maior qualidade com as vulnerabilidades identificadas e os processos que podem ser utilizados para mitigar tais pontos.

Avaliar quais são os problemas da infraestrutura de TI e como eles afetam a sua confiabilidade é crucial. Justamente por isso é importante que o setor de TI saiba o que é análise de risco e como efetuar uma. Dessa forma, o uso da tecnologia no ambiente corporativo será auxiliado por soluções de alta performance e confiabilidade.

Gostou deste post e quer saber mais sobre como uma empresa pode auxiliá-lo a ter uma infraestrutura de TI de maior qualidade? Entre em contato conosco!

Notícias relacionadas