Notícias GetTI

Entenda os motivos para você investir em um bom banco de dados

Hoje em dia qualquer empresa precisa de um banco de dados. Seja pra poder controlar os processos internos, por exemplo, dados financeiros, de funcionários e clientes, seja no produto para o cliente, como dados de um web site, um aplicativo de celular etc. No entanto, diferentes aplicações requerem tipos de organização de dados específicos.

A seguir, explicaremos o que é um banco de dados, seus tipos, benefícios e como escolher corretamente um sistema. Continue a leitura! 

O que é banco de dados?

Um banco de dados é uma coleção de dados que são usados com um propósito específico. Podem ser de registros de pessoas, lugares, documentos, imagens, vídeos etc. Contudo, seu principal uso é o controle operacional das empresas, como estoque, cadastro de clientes, registro de pagamentos, etc.

Recentemente, os bancos de dados também vêm sendo utilizados para estudos e análises. Operações de big data, dados geográficos, análise de redes sociais, dentre outros são alguns exemplos de aplicações que usam o banco de dados.

Quais os tipos de banco de dados?

Existem, basicamente, dois grupos que podem ser divididos em relacional e não relacional. O segundo tem diferentes abordagens que servem para lidar com coleções de dados distintos. A seguir, listamos os principais tipos, de acordo com a InfoWorld. Veja:

Relacional

É o mais tradicional dos bancos de dados do mercado. Ele é baseado em relações de tabelas com linhas e colunas, que são armazenadas e controladas por um sistema gerenciador de banco de dados, ou SGBD.

As principais vantagens do banco de dados relacional é que são altamente estruturados e têm suportes teóricos consolidados da computação. Os dados são facilmente armazenados e recuperados por meio de SQL. Além disso, eles podem ser restritivos ao acesso e também permitir o uso em camadas.

Os bancos de dados relacionais são recomendados para dados altamente estruturados, que necessitem de integridade e que possam ter os processos internos automatizados. Os principais são: MySQL, Oracle, SQL Server, etc.

Orientado a documentos

É um modelo de banco de dados não relacional. Os dados são armazenados em documentos, como XML, JSON etc. Não há tabelas e, por isso, os esquemas de armazenamento são bastante flexíveis cada arquivo pode ter diferentes tipos de dados sem comprometimento com a estruturação.

A flexibilidade de armazenamento de dados de um modelo orientado a documentos permite que os usuários manipulem os dados mais facilmente, pois não há a necessidade de conhecimento prévio das estruturas do banco. Esse modelo permite que novas estruturas sejam criadas sem afetar outros documentos, além de facilitar o escalonamento horizontal.

Esse modelo é recomendado para protótipos rápidos, gerenciamento de conteúdo e análise de dados. Alguns exemplos de bancos desse tipo são: MongoDB, CouchDB e outros.

Servidor de buscas

Apesar de não serem considerados banco de dados, os servidores é uma alternativa para organização de dados que precisam lidar com o grande gasto de tempo em buscas por documentos. É um modelo não relacional de armazenamento desenhado para alto desempenho em recuperação de informação.

Suas principais vantagens, além da eficiência com buscas, é a escalabilidade do volume de dados. O alto desempenho nas buscas é por causa da implementação de técnicas específicas de recuperação de dados que os bancos convencionais não têm.

Seu uso é indicado para negócios que precisam aumentar a experiência de busca de seus usuários. Também pode ser usado em aplicações específicas, como processamento de linguagem natural, análise de conteúdo, entre outros. Exemplos de servidores de buscas no mercado é o ElasticSearch, Apache Lucene, Apache Solr, dentre outros.

Como escolher o banco de dados certo?

O primeiro passo é definir a sua estratégia de dados. Para isso, basta analisar o modelo de negócios que tem ou que será criado, e verificar quais são as necessidades de transações que precisam ser feitas.

Por exemplo, uma loja online necessita de um banco de dados relacional para fazer transações de compras e atualizações de estoques. Para escolher a estratégia certa, é interessante seguir algumas dicas simples oferecidas pela Chartio:

Usam dados estruturados ou desestruturados?

Dados estruturados são aqueles que podem ser colocados em linhas e colunas, sendo representados por uma tabela. Eles são fáceis de serem identificados e organizados. Exemplos de dados estruturados são planilha de pagamentos, cadastro de clientes etc.

Já os dados desestruturados não têm modelos específicos de informação e podem ser coletados de diferentes maneiras. Posts de redes sociais, documentos, imagens e metadados são alguns deles.

Qual o volume de dados do seu negócio?

Se for um volume muito grande de dados, é preciso usar um banco de dados escalável que suporte grandes quantidades de informações, pois há impactos no desempenho. Há escalonamentos de Giga, Tera e Petabytes, que permitem que o usuário faça ajustes conforme as suas necessidades.

Para decidir a quantidade de dados é preciso considerar o volume atual e o futuro para escolher um banco de dados robusto e flexível.

Desempenho é crucial?

Se o seu negócio demandar que consultas estranhas e imprevisíveis sejam feitas para realizar tarefas importantes, a melhor escolha é por um banco de dados que seja otimizado para análises. Do contrário, os bancos tradicionais atendem as consultas mais simples.

Quais os benefícios de um bom banco de dados?

Além da eficiência e desempenho de usar o banco de dados correto para o seu negócio, existem outros benefícios.

Há um alinhamento entre os setores da sua empresa, que estão sujeitas as mesmas regras de acesso aos dados. Os dados, por sua vez, são controlados e gerenciados por serviços que garantem a segurança, por meio de rotinas de backup, e persistência dos dados. Isso evita conflitos operacionais e, consequentemente, os riscos são diminuídos.

Para o cliente, o resultado pode ser visto em forma de produtividade e qualidade do produto. Com os dados organizados da forma correta, ele consegue usar o serviço sem queixas, revertendo a boa experiência em lucros para a empresa.

Um banco de dados quando é bem escolhido, traz inúmeras vantagens para as empresas e, claro, para os seus clientes. Investir em uma tecnologia adequada para seu negócio é um grande passo para o sucesso no mercado.

Curtiu nosso post sobre os motivos para investir em bancos de dados? Aproveite e aprenda também sobre como gerenciar uma infraestrutura de TI. Até lá!

Notícias relacionadas