Notícias GetTI

Segurança de endpoint: entenda a sua importância

Como a sua empresa mantém a infraestrutura de TI segura? Ao longo dos últimos anos, novas tecnologias e ameaças surgiram. E nesse cenário, as políticas de segurança digital tiveram que ser readaptadas para trabalhar com um número amplo de ameaças, vulnerabilidades, sistemas e aparelhos.

Para lidar com esse novo fluxo de dados, as soluções de segurança de endpoint foram criadas. Elas atuam ativamente na infraestrutura de rede, impedindo que novas portas de entrada sejam utilizadas por terceiros para roubo de dados. Dessa forma, a companhia consegue criar novas camadas de proteção sem comprometer a sua competitividade.

Quer saber mais sobre o tema e como a segurança de endpoint pode beneficiar o seu negócio? Então veja o nosso post!

O que são as ferramentas de segurança de endpoint

As ferramentas de segurança de endpoint são criadas para efetuar o monitoramento e a proteção de todas as partes de uma infraestrutura de rede. Em outras palavras, elas são voltadas para identificar problemas no comportamento dos chamados “endpoints” (dispositivos normalmente utilizados pelos usuários, como laptops, computadores, tablets e smartphones). Dessa forma, a companhia consegue prevenir que brechas de segurança desses aparelhos sejam utilizadas para invasões e roubos de dados.

Esse tipo de software foi criado para lidar com o novo ambiente de TI do meio corporativo. Ele pode atuar de maneira estratégica na identificação de novas ameaças, bloqueio de conexões inseguras e aparelhos que possam ser utilizados para roubo de dados. Assim, a companhia pode criar uma nova camada de proteção para os seus usuários mesmo que as suas rotinas tornem-se mais flexíveis.

A importância da segurança de endpoint no cenário atual

A infraestrutura de TI de empresas está passando por mudanças rápidas ao longo dos últimos anos. A flexibilização de rotinas de trabalho, assim como as novas tecnologias e metodologias, levaram negócios a ter que lidar com um número maior de soluções e ferramentas conectadas aos seus ambientes digitais.

Políticas como a BYOD (sigla para Bring Your Own Device, ou Traga o Seu Próprio Dispositivo, em português), assim como tecnologias como a Internet das Coisas e a computação na nuvem, tornaram as políticas de segurança mais complexas. O número de brechas em potencial aumentou drasticamente e, com isso, tornou-se necessário criar ferramentas de segurança como as de endpoint, que ampliam a capacidade do gestor de TI de identificar problemas e mitigá-los com agilidade.

Com profissionais dependendo de dispositivos pessoais e ferramentas mobile para manterem as suas rotinas de trabalho, a necessidade de soluções de endpoint tornou-se muito maior. Companhias precisam de uma ferramenta que seja capaz de cobrir todas as “portas de entrada” de ataques modernos, assim como os ambientes em que dados sensíveis circulam.

A empresa cria uma camada adicional de segurança para os seus dispositivos. O monitoramento de todas as conexões, usuários e aparelhos será contínuo. Dessa forma, a infraestrutura torna-se mais confiável, mesmo que existam aparelhos pessoais de usuários a ela conectados.

Como a segurança de endpoint está inserida nas políticas de segurança digital

As ferramentas de segurança de endpoint inserem-se em um contexto de alta mobilidade e flexibilidade no ambiente corporativo. Por meio das novas tecnologias, as empresas conseguiram remodelar as suas atividades, reduzir custos e gerar mais competitividade. Mas, ao mesmo tempo, o número de pontos que necessitam de atenção foi ampliado.

Por meio de uma solução de endpoint, o negócio amplia o número de camadas de proteção das suas políticas de segurança. O número de falsos positivos cairá continuamente, graças a mecanismos de IA e machine learning, que compreendem com mais precisão o comportamento do usuário e faz a identificação de comportamentos suspeitos corretamente. Ataques de dia zero, por exemplo, são identificados com agilidade a partir de funcionalidades de análise comportamental avançadas.

Já ataques como os de ransomwares, que impedem o acesso a arquivos importantes do negócio, são bloqueados antes que causem qualquer impacto no ambiente de trabalho. Consequentemente, o negócio pode manter seus sistemas com alta disponibilidade.

Os crypto miners, uma ameaça silenciosa que é instalada com programas para utilizar recursos computacionais para minerar criptomoedas, também são bloqueados. Como consequência, os dispositivos internos terão um grau de confiabilidade muito maior, evitando que ocorra o direcionamento de recursos para ferramentas não autorizadas pela empresa.

Vulnerabilidades podem ser isoladas com mais agilidade. Isso dá ao negócio a capacidade de utilizar um número maior de soluções de TI sem riscos, uma vez que as aplicações estarão isoladas e livres de vulnerabilidades locais. A longo prazo, a companhia ganhará mais capacidade para bloquear e controlar todos os pontos de acesso da rede, monitorando recursos ativamente em busca de sinais de ataque ou execução de softwares maliciosos.

Vantagens do investimento em segurança de endpoint

O investimento em ferramentas de segurança de endpoint pode trazer uma série de benefícios para o negócio. Entre os principais, podemos destacar:

Maior controle sobre a infraestrutura de rede

O software de segurança de endpoint amplia continuamente a capacidade do negócio de monitorar o uso de todas as conexões que são estabelecidas com a infraestrutura de TI. Pendrives, celulares, tablets e computadores terão o seu comportamento avaliado continuamente. Dessa forma, o gestor evita que qualquer tipo de ataque possa atingir o negócio.

Amplo controle de aplicativos

O controle também envolve os aplicativos da empresa. Será possível monitorar como cada software faz uso dos recursos computacionais, de tal maneira que a detecção de sistemas efetuando requisições maliciosas não passe despercebida. Assim, a companhia evita roubo de dados sigilosos com alta precisão.

Possibilidade de detectar vulnerabilidades de dia zero

As soluções de endpoint têm mecanismos para que ataques que exploram vulnerabilidades ainda não solucionadas sejam bloqueados ativamente. Por meio de funcionalidades que aprendem o comportamento padrão do usuário, esses sistemas de segurança tornam-se capazes de identificar comportamentos suspeitos e, assim, bloquear ativamente possíveis ameaças.

Isso dá às políticas de segurança do negócio um papel estratégico. A empresa poderá bloquear um número muito maior de ameaças automaticamente, tornando o seu ambiente digital mais sólido e confiável. Assim, novas formas de trabalho, mais flexíveis e modernas, serão adotadas sem comprometer a segurança da infraestrutura de rede.

E você, o que acha das soluções de segurança de endpoint? Compartilhe este post nas suas redes sociais com a resposta!

Notícias relacionadas