Notícias GetTI

Pentest: entenda o que é, quais os principais tipos e benefícios!

Toda empresa pode ser atacada por invasores externos. Para se prevenir contra esse tipo de ameaça digital, uma das melhores estratégias é o investimento na realização de um pentest.

Geralmente executado por um time externo, esse teste permite que o negócio identifique vulnerabilidades e, assim, otimize as suas políticas de segurança de dados. Quer saber mais? Então, leia este post!

O que é o pentest?

Abreviação de Penetration Test (ou teste de penetração), o pentest é um teste executado para avaliar a capacidade de as políticas de segurança protegerem a infraestrutura de uma invasão. Ele pode ser aplicado a qualquer solução de TI e, em geral, é feito por um time externo.

Ao término do pentest, a empresa terá um relatório com todas as suas vulnerabilidades, pontos que merecem modificação e estratégias para tornar a infraestrutura mais confiável. Dessa forma, as vulnerabilidades encontradas são eliminadas e, com isso, a empresa pode manter-se com a tecnologia integrada a várias rotinas com segurança.

Como o teste de penetração pode ser realizado?

Os testes de penetração têm três níveis. Cada um deles apresenta cobertura e objetivo diferentes. Eles são:

Teste White Box

Esse é o teste mais completo. A partir do levantamento de todos os pontos e do perfil da infraestrutura da empresa (como IPs, dispositivos e aplicações), o invasor fará um ataque completo, explorando todos os recursos disponíveis.

O número alto de informação preliminar é necessário para que o teste seja mais abrangente. Por ter um perfil completo da empresa traçado, o responsável pelo teste conseguirá explorar mais pontos e vulnerabilidades.

Teste Black Box

Nesse tipo, o time executa um ataque às cegas. Não são coletadas informações previamente, o que dá ao ataque um nível de simulação mais próximo de uma invasão real. Assim, as infraestruturas serão identificadas do ponto de vista de um agente malicioso que explora apenas as vulnerabilidades já conhecidas pelo mercado.

Teste Grey Box

Esse é semelhante ao White Box, porém o time responsável pelo teste terá um número de informações básicas sobre o negócio.

Assim, o pentest terá menos tempo investido na identificação dos problemas da empresa do que um teste do tipo Black Box. Ainda assim, ele será capaz de avaliar todas as vulnerabilidades da empresa e os pontos que necessitam de melhorias.

O que um pentest cobre?

Podemos dizer, em poucas palavras, que o teste de penetração cobre toda a infraestrutura de TI. Contudo, o ideal é que alguns pontos-chave sejam prioridades da empresa, uma vez que problemas nessas áreas podem gerar grandes impactos para a companhia. Nesse sentido, podemos destacar como pontos mais importantes de um pentest:

A infraestrutura de rede

A infraestrutura de rede tem, hoje, papel central nas rotinas de TI. Graças a ela, as empresas podem se comunicar de modo integrado e ágil: a troca de informações é feita com baixo custo, índice de erros reduzido e prazos menores.

Além disso, as conexões de rede são fundamentais para o uso de tecnologias como a computação na nuvem e a internet das coisas. No primeiro caso, a rede serve como ponte de acesso para softwares, plataformas de desenvolvimento e armazenamento de arquivos em ambientes de cloud computing. Assim, a empresa consegue executar as suas rotinas sem grandes dificuldades e gargalos.

Já no caso da internet das coisas, a infraestrutura de rede é crucial para a comunicação entre os dispositivos. Se mal estruturada, a troca de informações entre os equipamentos será prejudicada e com baixa confiabilidade. Mas, com o pentest, a empresa pode avaliar se existem vulnerabilidades nos seus dispositivos de rede e, assim, aplicar medidas para tornar o ambiente virtual mais seguro e robusto.

Aplicações e páginas web

As aplicações e páginas web não só funcionam como meios de vendas, mas também como mecanismos de trabalho e otimização operacional. Justamente por isso, o pentest deve cobrir tais áreas, evitando que o negócio tenha uma porta de acesso vulnerável publicamente.

Aplicado aos sites da empresa, o pentest verificará se o negócio tem servidores capazes de impedir o vazamento de dados de usuários e demais informações sigilosas. Os testes podem incluir estratégias para invasão das páginas de controle, roubo de dados e manipulação dos conteúdos internos. Assim, a empresa conseguirá identificar o nível de confiabilidade das suas páginas e como elas conseguem manter dados de clientes protegidos.

No caso das aplicações web, o pentest não só executa as rotinas acima listadas, mas também pode avaliar se existem portas de entrada para a infraestrutura interna. Assim, a empresa terá como avaliar o nível de isolamento dos seus serviços web e definir medidas para impedir que eles virem mecanismos de acesso à infraestrutura de TI interna.

Redes sem fio

A criação e a popularização de rotinas de trabalho que exploram notebooks, tablets e smartphones como mecanismos operacionais no ambiente corporativo mudaram a forma como as redes sem fio são vistas. Elas viraram ferramentas de trabalho cruciais para que a entrega de demandas ocorra com mais flexibilidade.

Além disso, a incorporação da internet das coisas na rede corporativa trouxe novos desafios. Junto com os dispositivos que os profissionais utilizam, os gestores também devem avaliar quais são os impactos causados por aparelhos inteligentes.

Com o pentest, a empresa pode identificar a capacidade de um invasor utilizar um dispositivo mal protegido para ataques. Além disso, o nível de segmentação da rede será avaliado, uma vez que esse fator influencia diretamente na capacidade de um ataque se replicar. Assim, o negócio pode tomar medidas inteligentes para reduzir riscos e manter o ambiente de trabalho mais integrado.

Contas de usuários

Muitos ataques exploram as contas de usuários para obter acesso a recursos internos. Portanto, é importante que o pentest cubra essa área.

Com mecanismos de engenharia social, o negócio poderá avaliar se os seus times estão prontos para lidar com ameaças. Consequentemente, os treinamentos poderão ser otimizados, assim como os mecanismos de segurança digital.

Quais os benefícios de investir no teste de penetração?

A principal vantagem de investir na realização de testes de penetração é a maior confiabilidade da infraestrutura de TI. A empresa fará uma análise completa das suas vulnerabilidades, dos pontos que podem impactar no fluxo de trabalho e que são capazes de auxiliar as invasões.

Isso permitirá que processos corporativos sejam otimizados com mais qualidade e segurança. A companhia terá relatórios bem estruturados com uma descrição completa dos pontos vulneráveis de suas infraestruturas, políticas de segurança que devem ser modificadas e pontos que precisam ser mantidos.

Com tais dados em mãos, as políticas de segurança ganharão abrangência e performance. Os processos de controle, monitoramento, mitigação de riscos e avaliação de resultados serão mais precisos e inteligentes, e a infraestrutura será mais confiável.

Em outras palavras, o pentest é uma rotina fundamental para o bom uso da tecnologia no ambiente corporativo. Com ele, as soluções de TI e os novos investimentos na área deixam de ser riscos para a empresa e, assim, viram pontos de apoio para maior performance e ganho de competitividade.

Uma das melhores aplicações para evitar ataques é o firewall. Se você quer saber como essa solução funciona e as diferenças entre o firewall tradicional e o next generation firewall, veja o nosso post sobre o tema!

Notícias relacionadas